Itatiaiuçu já tem mais de 1,5 mil casos

Cidade registrou primeiro caso de Chikungunya. Apesar de Ministério da Saúde apontar redução e estabilidade de casos em Minas Gerais e outros estados, município registra 43% de aumento em 15 dias

Itatiaiuçu já tem mais de 1,5 mil casos

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 21 estados apresentam tendência de queda ou de estabilidade na incidência de casos de dengue. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, no fim de abril.

Entre os estados, está Minas Gerais, que concentra 622.435 casos positivos e mais de 1 milhão de casos prováveis, além de 367 óbitos confirmados e 805 em investigação.

Conforme painel da Secretaria de Saúde (SES-MG), Itatiaiuçu também manteve estabilidade no número de casos prováveis nas últimas quatro semanas, diferente dos meses de fevereiro e março, quando houve uma explosão de casos na cidade. Em contrapartida, apesar do cenário, o número de confirmações continua a subir e o município já registra 1.524 casos confirmados e 1.638 casos prováveis. Esse número representa um crescimento de 40% no número em comparação com duas semanas atrás.

Além disso, a cidade registrou o primeiro caso de Chikungunya.

Distribuição de vacinas

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 814.698 vacinas contra a dengue já foram aplicadas no público-alvo pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, 1.330 municípios brasileiros já foram contemplados.  

Na última semana, a SES ampliou o número de cidades mineiras com acesso ao imunizante. Na macrorregião de Saúde Oeste, 16 municípios das microrregiões de saúde de Divinópolis e Pará de Minas/Nova Serrana foram contemplados. As cidades da região que foram incluídas são: Divinópolis, Itapecerica, Perdigão, Carmo do Cajuru, Araújos, Cláudio, São Gonçalo do Pará, São Sebastião do Oeste, Nova Serrana, Pará de Minas, Pitangui, Igaratinga, Conceição do Pará, Onça de Pitangui, Leandro Ferreira, São José da Varginha.

Da Região Metropolitana de Belo Horizonte, entre os municípios que recebem o imunizante, estão: Igarapé, que possui 1.051 casos confirmados; Mateus Leme, com 2.111; Rio Manso, com 731 casos; e São Joaquim de Bicas, com 1.001. 

Para inclusão são avaliados alguns critérios, como municípios de grande porte com alta transmissão nos últimos dez anos e população residente igual ou maior a 100 mil habitantes, levando também em conta altas taxas de transmissão nos últimos meses. Itatiaiuçu, que vinha registrando poucos casos nos últimos anos, está de fora da programação.

Novo método

Na última semana, foi inaugurada a Biofábrica Wolbachia, em Belo Horizonte, que consiste na liberação de mosquitos Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia, que impede que os vírus da dengue, Zika, chikungunya se desenvolvam no inseto, evitando a transmissão das doenças. Estes mosquitos, chamados de Wolbitos, não são geneticamente modificados e não transmitem outras doenças. 

“Estamos tirando o método Wolbachia do cenário da pesquisa para um patamar de incorporação como política pública. Essa ação, que tem a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) como instituição iniciadora, tem resultado de médio e longo prazo, mas nós já temos bons resultados”, explicou a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel.